A história da NHR Brasil começa na Holanda, há mais de 50 anos. A partir de uma visita a pacientes com hanseníase em um hospital na Tanzânia na década de 1960, Francisca Anten e o professor Dick Leiker idealizaram a NLR, organização não-governamental que luta por um mundo livre da hanseníase.

Atuando em diversos países, a NLR começou a apoiar projetos de combate à hanseníase no Brasil em 1994. O trabalho foi desenvolvido em parceria próxima com o setor público, com presença na rotina dos programas de controle da hanseníase, capacitação de profissionais de saúde e produção de materiais educativos em até 13 estados brasileiros.

Em 2011, este apoio foi oficializado com a criação da NHR Brasil, atuando como um escritório representando a ONG holandesa no Brasil. Desde então, o apoio aos projetos é focado em áreas de alta endemicidade para a hanseníase.

Atualmente, os projetos em execução e em fase de desenvolvimento estão nos estados do Ceará, Rondônia, Pernambuco, Bahia, Rio Grande do Norte e Piauí.
Com diferentes iniciativas, a NHR Brasil combate a hanseníase com o objetivo de promover e apoiar o diagnóstico precoce, a prevenção de sequelas e incapacidades, a redução do estigma vivenciado por pessoas acometidas pela hanseníase e o desenvolvimento inclusivo para pessoas com deficiência.

Dentro da Aliança NLR, a NHR Brasil articula suas ações com as organizações vinculadas à NLR em Moçambique, na Índia, na Indonésia e no Nepal.

Juntos, estes países trabalham em três programas estratégicos de atuação: Zero Transmissão, Zero Deficiências e Zero Exclusão, tendo ainda o componente da redução do estigma como aspecto transversal a todos os projetos.

Internacionalmente, a NHR Brasil integra a Federação Internacional de Associações de Combate à Hanseníase (ILEP) e coordena os membros da ILEP a nível nacional no Brasil.