Empoderamento

Locais de atuação: Pernambuco e Rondônia

Coordenação: Rejane Almeida (NHR Brasil)

Desenvolvimento de capacitação para formar facilitadores entre os coordenadores de grupos de autocuidado que recebem o apoio da NHR Brasil.

O objetivo é elaborar a estratégia para promoção do empoderamento de pessoas acometidas pela hanseníase e pessoas com deficiências para a adesão às práticas de autocuidado e de redução de incapacidades.

Fortalecimento de Lideranças

Coordenação: Rejane Almeida (NHR Brasil)

Metodologia para aperfeiçoar o conhecimento, atitudes e habilidades de pacientes identificados com o perfil de lideranças na condução de movimentos e organizações de pessoas acometidas por doenças tropicais negligenciadas.

Com primeiro módulo ofertado em 2018, o curso busca fortalecer os líderes para que tenham mais capacidade para enfrentar cenários de exclusão e desigualdade no Brasil, além de fortalecer a luta pelos direitos de acesso à saúde pública de qualidade.

Toolkit para Grupos de Autocuidado

Locais de atuação: Pernambuco e Rondônia

Coordenação: Rejane Almeida (NHR Brasil)

Discussão para analisar o uso de um kit de ferramentas para nortear intervenções com foco no cuidado integral de participantes de grupos de autocuidado.

O kit de ferramentas permite reconhecer aspectos psicossociais dos participantes de grupos, contendo escalas de avaliação de aspectos relativos à participação social, estigma, empoderamento e qualidade de vida.

Grupos de Autocuidado UPE

Locais de atuação: Região Metropolitana de Recife, Pernambuco

Coordenação: Danielle Moura (Universidade de Pernambuco)

Proposta de implantação e monitoramento de grupos de autocuidado em hanseníase, contribuindo para o fortalecimento dos grupos na superação de desafios e planejamento de atividades com participantes e profissionais de saúde.

Visitas técnicas, reuniões periódicas e aplicação de instrumentos de avaliação integram a estratégia do projeto, contando com a participação de estudantes do programa de extensão universitária “Cuidado e garantia de direitos das pessoas atingidas pela hanseníase”.

IntegraDTNs

Locais de atuação: Anagé, Encruzilhada, Tremedal, Vitória da Conquista e Barra do Choça, na Bahia

Coordenação: Eliana Amorim (Universidade Federal da Bahia)

Trabalho integrado para controle da hanseníase e da doença de Chagas, tendo como um dos eixos principais a capacitação de agentes comunitários de saúde (ACS) e agentes de combate às endemias (ACE).

Com visitas às casas das regiões incluídas no projeto, estes agentes fazem a captura do barbeiro – portador do parasita causador da doença de Chagas – e avaliação de contatos de pessoas que já tiveram hanseníase, fortalecendo a busca por novos casos e prestando apoio em questões do estigma e da co-infecção com a doença de Chagas.

A abordagem é realizada desde julho de 2018 por pesquisadores do Instituto Multidisciplinar em Saúde da UFBA. Em 2019, a NHR Brasil entra como uma das financiadoras do projeto, auxiliando com a realização de eventos e as atividades de campo.

Meu Querido Pé

Locais de atuação: Teresina, no Piauí

Coordenação: Sandra Bezerra (Universidade Estadual do Piauí)

Abordagem com foco na prevenção e no tratamento de lesões neuropáticas nos membros inferiores, complicações que afetam o sistema nervoso periférico e que causam perda de sensibilidade à dor, percepção de pressão, temperatura e outros fatores.

O projeto é voltado para pessoas atendidas no Centro Maria Imaculada, referência para a hanseníase em Teresina. Após pesquisa descritiva e abordagem quantitativa, o projeto faz avaliação sensório-motora, capacitação de profissionais de saúde e das pessoas acometidas para o autocuidado, promovendo também o tratamento de ulcerações e prevenção de recidivas.

Grupo de Autocuidado Dona Libânia

Locais de atuação: Fortaleza, no Ceará

Coordenação: Suziane Franco (Centro de Referência em Dermatologia Sanitária Dona Libânia)

Revitalização do grupo de autocuidado Quem Ama (se) Cuida, direcionado para pessoas acometidas com hanseníase em atendimento no Centro Dona Libânia ou em tratamento de episódios reacionais, com foco no autocuidado, melhora da autoestima e consciência de risco para prevenção de incapacidades.

O grupo havia sido iniciado em 2012 e foi retomado em 2019 com apoio da NHR Brasil, Secretaria da Saúde do Ceará e Liga Acadêmica em Doenças Estigmatizantes da Universidade Federal do Ceará (Lades/UFC).