Locais de atuação: Picos (Piauí) e Rolim de Moura (Rondônia)

Coordenação: Alberto Novaes Ramos Jr.

Pesquisa operacional conduzida pelo Departamento de Saúde Comunitária da Universidade Federal do Ceará (UFC) para caracterizar o padrão de distribuição espacial e temporal dos casos de hanseníase e os fatores determinantes de vulnerabilidades (individual, social e programática). Com a identificação das áreas com maior concentração de casos nos municípios, são desenvolvidos genogramas e ecomapas para traçar o perfil das redes de convívio domiciliar atingidas pela doença.

A partir desta coleta, são descritos os fatores relacionados às diversas dimensões de vulnerabilidade. As redes de convívio domiciliar são consideradas espaços estratégicos de atuação, onde a análise dos fatores socioeconômicos, demográficos, clínicos e operacionais resulta em evidências para o combate à hanseníase, favorecendo formas inovadoras de atuação, monitoramento e avaliação no controle da doença.
Em 2017, o estudo foi realizado nos municípios de Cacoal (Rondônia), Vitória da Conquista e Tremedal (Bahia) e Floriano (Piauí). As áreas contempladas foram incluídas no modelo INTEGRAHANS Norte-Nordeste e INTEGRAHANS Piauí, que se baseou na atenção ao indivíduo, família, rede social e comunidade.