Locais de atuação: Floriano (Piauí)

Coordenação: Jaqueline Caracas Barbosa

Os conceitos do estigma vinculado à hanseníase com foco comunitário, foco individual e do empoderamento são abordados no estudo conduzido pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Para mensurar estes aspectos, o projeto analisa os impactos do preconceito e da restrição à participação social em pessoas atingidas pela doença. Para isto, são aplicadas as escalas EMIC Individual e de empoderamento, instrumentos validados e adaptados para o contexto brasileiro em 2017.

Com os instrumentos, o estudo visa dimensionar os graus de estigma individual e de empoderamento das pessoas atingidas pela doença no município de Floriano para gerar mais evidências técnicas e científicas sobre os impactos psicossociais da hanseníase.