Meus sinais de hanseníase começaram em 2012, mas foi tratado primeiro como "bicho geográfico", depois como alergia. Só em 2017 um dermatologista olhou e pensou em hanseníase. Terminei o tratamento há um ano. Participei em abril das oficinas de gastronomia do projeto Agevisa (Rondônia). Aprendi a fazer pão, torta de carne moída, de frango…

Ainda não estou vendendo meus produtos, pois meu marido está tentando montar o nosso ponto comercial. Minha filha também participou e vai nos ajudar quando começarmos a vender. É motivador participar dos cursos, ouvir histórias, descobrir coisas novas. A gente acaba vendo que também pode aprender e mudar de vida.
Isicléia Caetano Neves
41 anos, dona de casa